25 Fev. 2012 // 31 Mar. 2012

EXPOSIÇÃO DE JOVENS ARTISTAS EGÍPCIOS Badawi Mabrouk | M. Ramadan | Gravura

Sala de Exposições Temporárias | Temporary Exhibitions Room

Badawi Mabrouk
Badawy Mabrouk Hassan, nascido em 1980, em Minia, no Egipto. Formado pela Escola de Belas-Artes da Universidade de Minia, é artista no Ministério da Cultura. Participou em várias exposições de 1999 a 2012, tendo recebido muitos prémios e registando várias participações locais.
"Com base no meu país e para o meu país, com o princípio de liberdade que varreu os países da Primavera árabe, são dados os primeiros passos desta liberdade criativa na cidade do Porto – cidade histórica e antiga de Portugal com os seus povos e os seus artistas, e foi nesta cidade que tive uma experiência em Edição Profissional; trata-se de uma extensão dos meus professores e das pessoas do meu país, em apoio da gloriosa revolução que aí teve lugar no esforço para alcançar a nossa liberdade e conservá-la incansa-velmente para criar uma nova vida em que possamos apreciar a nossa humanidade, perdida durante décadas, e que Deus quer reacender na nossa vida.
E esta experiência deriva de um vocabulá-rio genuíno egípcio, que por mais distante que eu esteja dele, continua entranhado em mim e representa o espírito egípcio com que nasci e com que viverei para o transmitir a todas as pessoas com amor e paz."

M. Ramadam
Mohammad Ramadan Abdou, nascido em 1985, este artista visual egípcio, formado pela Faculdade de Belas Artes, Univer-sidade de Minia, participou em vários concursos e exposições de nível local e internacional; actualmente trabalha como professor assistente na Faculdade de Belas Artes, Universidade de Minia, na cidade de Minia, no Egipto.
"Eu acredito completamente que a arte é uma linguagem comum que une os povos de línguas e raças diferentes. Apesar de ter realizado muitas experiências artísticas em vários campos, como a escultura, a cerâmica, a pintura e a fotografia, a minha expressão preferida sempre foi a arte da gravura, especialmente a técnica de gravura a buril, embora se trate de uma técnica difícil e assustadora. Contudo, permite-me traçar as linhas livremente, exactamente como eu gosto, e acabei por descobrir que a gravura se tornou uma parte de mim, que cada linha de cada pequena área faz parte da minha alma."

"Com amor e paz"
Exposição de Gravura
Exposição de Gravura
facebook Lugar do Desenho