23 Out. 2011 // 22 Jan. 2012

EVOCAÇÃO | MESTRE JÚLIO RESENDE

Sala de Exposições Temporárias | Temporary Exhibitions Room

Na vida, como na arte, devemos ser o que acreditamos. E, neste momento, ambas se mostram no testemunho que somos levados a dizer quando um grande artista que nos deixa, era também um grande amigo e um apaixonado por ambas: pela vida e pela arte. O Pintor e o Professor Júlio Resende, o Mestre Resende, era assim que na Escola Superior de Belas Artes distinguíamos com respeito os professores, teve a generosidade, pela sua natureza, formação, disciplina e extraordinária capacidade de trabalho de nos legar, a nós portugueses de todas as latitudes, uma excepcional obra plástica e de nos deixar em testamento tal tesouro. E ainda a possibilidade de mais virmos a descobrir e a fruir, pela qualidade e versatilidade sempre de surpreendente qualidade, um notável testemunho de realizações plásticas e estéticas, que atravessam todas as expressões: da cerâmica e vidro, ao mosaico e tapeçaria. Da ilustração e artes gráficas à cenografia. Da animação à sua produção pictórica e literária, em todas, com rigor exigente, obstinada dedicação e profundo conhecimento da matéria, foi capaz de nos surpreender sem nunca se repetir, sem nunca aplicar a fórmula do sucesso conquistado que ele tanto gostava de por em causa e mesmo de contrariar. Se isso não bastasse, Mestre Resende foi um Professor na Escola Superior de Belas Artes do Porto que soube estar à altura dessa responsabilidade. De dar testemunho a tantas gerações que tiveram o privilégio de o escutar, do que deve ser um artista plástico e do que a sociedade exige dele. O seu amor ao seu país, à sua história e cultura, ajudam a compreender quer a sua obra, quer o seu testemunho de cidadão. Por isso, ele dizia que o mérito está em fazer mais do que a obrigação. Porque a obrigação, é o mínimo que se exige a alguém que tem uma tarefa para cumprir. Intérprete do mundo que viajou e conhecedor profundo do seu país e do ofício do pintor, era pela sua visão universal, aliada a uma cultivada cultura interdisciplinar, que dinamizava de modo irreverente as suas actividades. Sempre empenhado no desempenho colectivo e responsabilidade cívica de acutilância invulgar, quis criar o Lugar do Desenho o que veio a acontecer junto à sua residência. Nunca querendo o seu nome neste lugar a não ser o espaço onde depositaria o seu valioso espólio de desenho e o lugar onde esse mesmo desenho, no sentido mais universal e interdisciplinar, pudesse reunir e congregar em exposição e profícua investigação o sentido, a razão e o destino daquilo a que Francisco de Holanda dizia: “E em tudo ponho o desenho, que me atreverei a dizer, que tudo o que se faz em este mundo é desenhar”. Aqui chegados, nós seus amigos, devemos-lhe o cumprimento desse desejo que em tantas horas valiosas, da sua valiosa existência, pudemos viver em pleno. Na sua convivência sempre e em cada situação, todos os momentos eram de realização e de enriquecimento construtivo do mundo. A utopia, sabíamo-la como horizonte, mas o pragmatismo e um sentimento do valor do tempo e do respeito pela vida e dignidade humana, eram mais fortes do que tudo, por isso o valor do tempo! O essencial era, e será sempre, mais importante do que o circunstancial. Conversas inconsequentes ou vãs, nunca eram acolhidas na sua convivência. Sempre se cultivou essa urgência de realizar com rigor, dedicação e competência o que compete a um artista exigente. Recusar o devaneio, o virtuosismo, a habilidade em favor da investigação e da emoção, da sinceridade, da autenticidade e da verdade, para uma completa realização humana. Mestre Resende era uma personalidade inconformada com um destino fatalista que sempre recusou. O seu testemunho sempre foi esse, quer pela constatação dos factos da sua obra, quer pelo seu depoimento. Soube representar e testemunhar um tempo que fica na nossa história. E a Cultura Portuguesa o irão renovadamente sublinhar, sem nunca precisar de estar onde não queria ou de ser o que não era. Assim, hoje estamos tristes com a partida do Mestre, mas mais reconfortados pelo que ele nos legou. O Lugar do Desenho, o seu Conselho, seus colaboradores e tantos amigos, a reconhecida gratidão pelo seu génio e talento legado para a construção de maior felicidade do homem, que é o entendimento do nosso destino.
Muito obrigado Mestre!
Até sempre!

Lugar do Desenho
facebook Lugar do Desenho