15 Jun. 2018 // 14 Out. 2018

DIÁLOGO E TRAIÇÃO — GRÃO VASCO | JÚLIO RESENDE

Museu Nacional Grão | Vasco Adro Sé, 3500-195 Viseu

Horário:

Terça-feira: 14:00 às 18:00. [Última entrada às 17:30]
Sábado: 10:00 às 13:00 | 14:00 às 18:00. [Última entrada às 17:30]
Domingo: 10:00 às 14:00 | 15:00 às 18:00. [Última entrada às 17:30]

Desde a sua criação, em 1993, e a inauguração das suas instalações, em 1997, que o Lugar do Desenho — Fundação Júlio Resende se dedica ao estudo, à preservação e à difusão do vasto acervo de desenhos que possui. Formada por duas mil e quinhentas peças que o pintor reuniu ao longo da sua carreira e destinou à Fundação, a colecção permite seguir o seu trajecto artístico, desde os tempos de formação aos de consagração. As actividades culturais e educativas que a Fundação tem desenvolvido estimulam uma leitura aberta do desenho e uma reflexão multidisciplinar sobre a sua prática.
Porque a experiência da viagem foi determinante na obra de Júlio Resende e porque estamos perante um artista que dedicou parte da sua vida às questões da divulgação e da recepção da arte, é justo celebrar o seu nascimento, através de uma série de exposições em várias cidades portuguesas.
É o que se pretende com a parceria entre o Lugar do Desenho, a Delegação de Viseu da Ordem dos Advogados e o Museu Nacional Grão Vasco, para a organização de uma exposição temporária por altura do Congresso Nacional dos Advogados Portugueses, exposição com características peculiares, assente num diálogo entre a obra de Júlio Resende e o patrono do museu viseense, Vasco Fernandes, o Grão Vasco.
Situadas e produzidas nos contextos epocais muito diferenciados dos séculos XVI e XX, as respectivas obras partilham a importância e o significado cultural que assumiram ao longo do tempo e do reconhecimento que a história lhes dedicou. O diálogo possível constitui um desafio considerável que o Lugar do Desenho aceitou e que resultará, certamente, numa releitura do trabalho dos dois artistas.
Rever Júlio Resende é rever uma obra que resume a arte 
do século XX. É urgente repensá-la e reenquadrá-la na história da arte moderna e
contemporânea. O centenário do nascimento do pintor é o momento certo para esta acção.

Lugar do Desenho — Fundação Júlio Resende


Do latim musēum, um museu é um lugar onde se guardam e exibem colecções de objetos de interesse artístico, cultural, científico e histórico. É um lugar de património, de memória, de cultura e lazer. Um lugar que mantém viva a história de um país ou região.
O Museu Nacional Grão Vasco tem como fundamental intento a preservação, divulgação e aprofundamento do conhecimento de um rico acervo de pintura renascentista do pintor Grão Vasco - “os valiosos quadros existentes na Sé de Viseu (...) além doutros objetos de valor artístico ou histórico (...)”. Mas, como qualquer Museu que quer acompanhar os tempos, tem de saber estabelecer conexões com o presente e abrir portas para o futuro, fundir-se com o tempo, com a cidade, com o território, mas também com outras experiências e realidades artísticas. É neste contexto que se insere a exposição Diálogo e Traição – Grão Vasco | Júlio Resende.
Diálogo e Traição – Grão Vasco | Júlio Resende convida-nos à exploração de diálogos entre as obras do Mestre renascentista da pintura portuguesa – Vasco Fernandes – o Grão Vasco, que produziu uma obra imensa e intensa no seu significado religioso e artístico, e o grande artista contemporâneo Júlio Resende que fundiu o seu trabalho numa dinâmica vanguardista e modernista, não dispensando a influência de várias correntes de produção artística. Secularmente distanciada, a criação artística destes dois vultos da arte nacional, pretende estimular o nosso olhar, transportando-nos para diferentes paletas pictóricas, suscitando-nos à curiosidade da sua relação e questionando-nos sobre as suas (re) interpretações e ligações.
Esta exposição resulta de uma vontade comum entre o Museu Nacional Grão Vasco, a Delegação de Viseu da Ordem dos Advogados e o Lugar do Desenho — Fundação Júlio Resende que, no seguimento da exposição “Korntal – Aguarelas de Júlio Resende”, patente no MNGV no âmbito das comemorações do centenário da sua fundação – 2016, voltaram de novo a encontrar sinergias, agora nas comemorações do centenário do nascimento de Júlio Resende, demonstrando assim a importância das parcerias na divulgação e visibilidade do património e da cultura.

Dra Paula Cristina Cardoso
Diretora do Museu Nacional Grão Vasco

Fotografias por Museu Nacional Grão Vasco

facebook Lugar do Desenho